Sobre viagens, companhias e mulheres de bicicletas

Depois de uma viagem marota no final do ano passado até Friburgo (em algum momento vamos postar as descobertas e os perrengues), a vontade de pedalar continuava. “A gente pedalou pouco.” “Também acho.” “Vamos para Região dos Lagos?” “Quando? Só falo uma coisa: só pedalo de manhã e de noite. XD“. Mas como a falta de sintonia, já comentada na última postagem, continuava, Marcus acabou partindo sozinho. Quase que simultaneamente à sua partida acessei o blog Espaços Invisíveis e li uma postagem que fala sobre companhia para viagens, onde a ciclista/autora escreve a partir de sua inesperada pedalada sozinha por conta de uma parceria de viagem que não deu certo. Depois da leitura fiquei pensando e aqui estou tentando organizar esses pensamentos.

Marcus sempre comenta que aprendeu em sua primeira viagem de bike a importância do trajeto e não do destino em uma experiência dessas. Se a sua pedalada não for solitária, a sua relação com sua companhia de pedal será crucial para um trajeto proveitoso. Coisas simples como cantar Dance of Days juntxs, compartilhar o olhar de maravilhamento ao se deparar com um lagarto imenso na RJ-122 e rir de piadinhas anti-carro tornam a viagem muito mais agradável.

Sem a companhia dele a possibilidade de realizar outra viagem de bike antes das férias acabarem parecem muito distantes. Não me sinto nem um pouco segura de andar sozinha por estradas que não conheço ou que são muito distantes. Não falo do receio de um acidente ou algo parecido, tenho medo de assaltos e de algum tipo de violência sexual. Na última viagem encontramos várias vezes ciclistas homens sozinhos nas estradas, nenhuma mulher. Isso parece ser um dado significativo. Algumas discussões sérias sobre assédio, mulheres e bike na internet como aqui e aqui nos fazem ver como esse é um problema generalizado e constante.

Como pegar a bike sozinha não se apresentava como opção, passei a considerar a possibilidade de arrumar uma companhia através da afinidade mais evidente: a vontade de viajar de bicicleta. Pesquisando aqui, pesquisando ali e até agora nenhuma possibilidade concreta.

Sim, a ideia é encontrá-lo na Região dos lagos.

– Lucília

Anúncios