Escolhendo o melhor selim

Nas pedaladas que fiz pela Av. Brasil (aproximadamente 30km de ida e 30klm de volta), ficou patente que preciso trocar meu selim; na volta sempre tinha uma sensação de “bunda achatada”, tendo que levantar algumas vezes do selim para aliviar. Para a compra do novo selim, eu tinha duas coisas em mente, retiradas de observações pessoais e conversas/recomendações com pessoas que pedalam: 1- o selim deve ser vazado, para proteger a próstata; 2 – evitar selim de gel, pois ele pode te deixar sem estabilidade por ser mole demais. Antes de comprar qualquer coisa, claro, uma pesquisa; e nessa pesquisa, vi que essas duas certezas que eu tinha são, no mínimo, questionáveis. Entre vários artigos bons que eu li, destaco esse aqui, que trás uma boa quantidade de informações em um só lugar, e é de uma pessoa que pedala muito (participa de Audax), então tem algum know-how.

O que ficou claro nessa pesquisa é que o tamanho ideal do selim tem que ver diretamente com a distância entre os ísquios, que são as protuberâncias ósseas que se projetam do cóccix para a bunda, o osso com o qual a gente senta. Existem vários métodos para medir essa distância, desde os mais caseiros como sentar em cima de um papelão canelado bem macio até os mais sofisticados, que envolvem médic@s e radiografias; para quem pedala, a fabricante de selins “Specialized” fez um equipamento para realizar esse medida de modo simples e rápido, o “assometer” (“bundômetro”, em tradução livre) – trata-se de uma almofadinha onde você senta por uns segundos, seu peso vai deformar temporariamente a espuma, então mede-se a distância entre as partes mais baixas da deformação.

Para não errar nem gastar dinheiro testando selins, como vi muita gente dizendo que fez em alguns fóruns, pensei em encontrar uma loja que tivesse o bundômetro (parece que a Specialized distribui isso em lojas que vendem seus produtos) para comprar o selim mais indicado. Aqui pelo meu bairro as pessoas faziam a maior cara de interrogação quando eu perguntava, e mesmo no centro de Caxias as lojas não tinham a ferramenta. Perguntei então pela lista da bicicletada se ealguém sabia de alguma loja do Rio que tivesse o bundômetro, mas ninguém pareceu saber, apenas surgiram algumas considerações sobre a possibilidade de eu estar sendo fresco em pensar no conforto de minhas nádegas. Sem opções, fiz o meu melhor: tentei medir manualmente a distância entre meus ísquios, com a ajuda de uma fita métrica. O resultado que tive foi de 13cm, e pelo que tinha visto na pesquisa muitos selins são projetados para 130mm, então confiei nesse medida; para não ir às lojas com uma fita métrica, tentei medir pela minha mão, e a distância entre meu pulso e meu dedo mínimo é de, aproximadamente, 13cm, então tomei isso como base. Optei por um selim da Astor, vazado, de espuma, mais estreito e comprido do que o que usava antes; eu nunca usei um selim vazado, então decidi testar dessa vez, espuma pois não achei um de gel e também pelo preço, mais estreito e comprido levando em conta a medida que fiz,  pois parece que para os homens o selim deve ser estreito e comprido do que os das mulheres (falando de uma forma geral, óbvio), por conta do quadril mais largo das mulheres e do períneo maior nos homens. E, claro, sempre uso uma bermuda com forro de espuma, genérica.

Selim novo (2013)

O novo selim, que será testado nessa viagem

Selim antigo (2012)

Selim antigo, reprovado pela Av. Brasil

Selim bike velha

Selim que uso pra percursos de 20, 30km – quem é @ fresc@ agora? XD

Anúncios

Comente aê =D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s